Home

Remédios Suplementos e Vitaminas Vitamed  Vacinas  Para Alérgicos


Faça sua busca aqui !
ABCdoPRECO





ABCdoPRECO

Saúde News
- Alimentação - Gastronomia - Medicina - Saúde - Suplementos -
Busca: Buscar por titulo do tópico

14/12/2012
Consumidor pode economizar sem comprometer a ceia de Natal

Uma pesquisa divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que não são só os preços dos presentes de Natal que vão pesar no bolso do consumidor brasileiro.

A ceia de Natal está 18,6% mais cara do que no ano passado.

A título de ilustração, neste ano, os produtos usados na ceia estão três vezes mais caros do que a média registrada pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no período de dezembro de 2011 a novembro de 2012, que foi de 5,77%.

Para o sócio-proprietário da Cachaçaria do Dedé & Empório, Rogério Perdiz, mesmo com a crise o consumidor pode fazer uma ceia econômica.

.

Assim como em todos os anos, a dica é fazer uma pesquisa antes de ir às compras.

Outra sugestão é aproveitar as promoções de Natal.

Na Cachaçaria do Dedé, por exemplo, estamos com diversas promoções como panettone, castanhas, nozes, frutas secas, entre outros produtos com preços especiais.

, diz Rogério.

Ceia econômica As sugestões para aliviar o bolso do consumidor não param por ai.

A chef de cozinha da Cachaçaria do Dedé, Eliane dos Santos, diz que a substituição por itens mais baratos é uma ótima saída para driblar a inflação.

.

No caso das carnes, uma opção mais barata é o cupim.

Pode ser servido com uma farofa ou arroz com passas e fica muito saboroso.

As nozes podem ser trocadas por frutas tropicais, como a uva e o melão.

, disse a chef.

Outra dica de Eliane é aproveitar o restante da ceia que não for utilizada e criar novos pratos no tradicional almoço de Natal, do dia 25 de dezembro.

.

Com um pouco de improviso dá para reaproveitar a ceia da noite anterior e fazer pratos deliciosos para a família e seus convidados, como o restante do arroz com o restante da carne, dá para fazer uma salada, farofa ou patê.

Basta usar a criatividade.

, conclui.

Itens com maior aumento de preço - Arroz (33,49%) - Cebola (48,37%) - Azeitona em conserva (11,79%) - Bacalhau (5,96%) - Frango (10,45%) - Batata inglesa (51,82%) - Pães e biscoitos (8,55%) - Mamão papaya (66,88%) - Manga (26,17%) - Abacaxi (23,52%) - Maçã (22,13%) Itens com menor aumento de preço - Azeite (3,48%) - Lombo suíno (2,84%) - Vinho (1,61%) Ainda de acordo com a pesquisa, o pernil suíno foi o único produto pesquisado pela FGV que teve queda de preço .

de 1,26% .

entre 2011 e 2012.

Fonte: Fundação Getulio Vargas (FGV)

Mais Detalhes [+]